juntos somos mais fortes

  • Recente

    sábado, 22 de outubro de 2011

    Beira-Mar vs Benfica… com Eusébio do outro lado

    Eusébio não marcou mas fez uma assistência. O jogo terminou 2-2, com o Pantera Negra a recusar-se a marcar um livre, a minutos do fim, contra o seu clube do coração



    A 5 de Janeiro de 1977, o SL Benfica deslocou-se a Aveiro para defrontar o Beira-Mar, em jogo da 12.ª jornada do campeonato nacional, num jogo muito especial para Eusébio.  O “Pantera Negra” tinha regressado a Portugal para jogar alguns meses pelo clube de Aveiro, aproveitando a paragem no campeonato norte-americano, e quis o destino que o maior símbolo dos encarnados defrontasse o seu clube do coração pela primeira e única vez.

    António Sousa, antiga glória do FC Porto e da seleção nacional, estava a dar os primeiros passos na 1.ª Divisão e jogou ao lado de Eusébio contra o Benfica. A poucos minutos do fim do jogo, com o resultado em 2-2, o Beira-Mar teve um livre frontal contra o Benfica. Eusébio era o habitual marcador de livres mas o coração não deixou. Sousa foi chamado a converter o livre mas a bola saiu por cima.

    «Foi um jogo normal para nós. Naturalmente que para ele não foi porque Benfica é Benfica e Benfica é o Benfica do Eusébio. O sentimento dele era enorme e jogar contra a sua equipa do coração e da vida foi marcante para ele. Porventura o mal-estar dele em relação ao próprio jogo era porque ele gostava de ganhar e de marcar. São momentos que se vivem na hora. O facto de o Eusébio não querer marcar um livre e dizer para eu marcar é sinónimo precisamente disso», lembrou António Sousa ao SAPO Desporto.

    «Não sei o que se passou comigo, mas comecei a tremer com aquelas camisolas vermelhas todas à minha frente, aquelas caras familiares. E recusei bater o livre. Passei a bola ao Sousa, que atirou por cima. Esse episódio foi inesquecível, mas senti-me aliviado pelo Benfica não ter saído derrotado de Aveiro, quando eu era ainda jogador do Beira-Mar», disse Eusébio mais tarde.

    Manuel José, treinador do Al-Ahly, jogou ao lado de Eusébio no Benfica em 1968, e no Beira-Mar em 1977. O ex-jogador não se lembra do livre em Aveiro mas recorda um episódio caricato com Eusébio, na Venezuela.

    «O único livre que me lembro dele foi na Venezuela. Nós, Beira-Mar, fomos jogar três jogos à Venezuela onde defrontámos o Alianza de Lima do Peru, que era 80 ou 90 por cento da seleção do Peru, e eles tinham acabado de ganhar num torneio com as melhores equipas da América do Sul. Quando entrei no campo olhei para as balizas e reparei que eram mais baixas, aquilo não tem 2,44 metros disse para mim próprio, e fui lá confirmar, e realmente não tinham a medida. Então fui à outra baliza e era a mesma coisa. Durante o jogo, há um livre contra o Alianza. O Eusébio tinha uma coisa fantástica, quando a bola passava a barreira o Eusébio sabia que a bola ia entrar. Ele bateu na bola, saiu a correr, a bola passou por cima da barreira e eu saí a correr atrás dele mas a olhar sempre para trás. Era ele a festejar o golo mas a bola bateu na barra, bateu no chão e o guarda-redes agarrou a bola. Então eu disse-lhe: Ó Eusébio a bola não entrou. Ele respondeu-me: Como não entrou? Eu disse-lhe: Não te lembras de eu dizer que a barra era mais baixa? Mas acabamos por ganhar o jogo por 1-0 com um golo do Sousa», recordou Manuel José em declarações ao SAPO Desporto.

    O SL Benfica defronta esta noite o Beira-Mar, no Municipal de Aveiro, em jogo da 8.ª jornada do campeonato nacional. O histórico dos confrontos entre os dois clubes dá clara vantagem ao Benfica que em 25 jogos, venceu 15, empatou oito e perdeu apenas dois. 



     

    in Sapo

    Sem comentários:

    Enviar um comentário

    Follow by Email